Nenhum produto no carrinho.

Subtotal: R$0,00

Atendimento:

(31) 3486 2765

Mais Imagens

Óleo Essencial de Cape May

Seja o primeiro a avaliar este produto

Nome botânico: Coleonema album
Origem: África do Sul
Parte utilizada: Toda planta
Método de extração: À vapor
Agricultura: Selvagem


VALIDADE: 01/11/2017

Disponibilidade: Em estoque

R$220,00

Detalhes

ÓLEO DE CAPE MAY (ALECRIM DO CABO/DIOSMA) 

 

Um poderoso analgésico similar a dipirona, paracetamol e ao ácido acetil-salicílico

Para quem não conhece ainda a pindaíba (Xylopia brasiliensis) do Brasil e o cape may (Coleonema album) da África, são óleos ricos em mirceno, componente que demonstrou em estudos ter ação analgésica similar à aspirina, dipirona e paracetamol1,2,3, com a vantagem de baixa toxidade. Seu componente ativo, o mirceno, não possui ação anti-coagulante, hepatotóxica ou teratogênica, tornando tais óleos seguros a uso4,5,6.

A pindaíba teve sua produção nacional iniciada no ano de 2011 através de nosso incentivo para inserção no mercado nacional de óleos essenciais, e desde esta época a utilização deste óleo vem sendo muito bem aceita pelos praticantes da aromaterapia. Os relatos e resultados em massagens, inalações e usos na fisioterapia tem sido fantásticos.

Devido à dificuldade na obtenção do óleo de pindaíba no Brasil, por problemas de interferência da falta de chuva na floração da árvore, a Laszlo importou da África do sul e agora tem disponível o cape may novamente, que substitui integralmente a pindaíba para uso terapêutico.

Estes dois óleos são muito empregados em dores agudas e crônicas, torções, cefaléias e enxaquecas, fibromialgia, reumatismo e outros. São talvez os analgésicos mais potentes da aromaterapia.
O cape may ou a pindaíba pode ser associado em combinações para dores com óleos como plai, orégano, gengibre, copaíba e artemísia branca, em dose de 0,5-1% de cada, visando ter um efeito analgésico ainda mais forte. Todos estes óleos são fáceis de conseguir na Laszlo.

O cape may possui ação calmante e poderoso efeito harmonizador dos hemisférios cerebrais. Também demonstrou em estudo possuir ação anti-espasmódicas que podem ser úteis no alívio de cólicas9.
Além do mirceno, que é um sedativo dos nervos, o cape may ainda tem em seu óleo cerca de 30% de b-felandreno, que em estudos mostrou ter efeito inibidor da acetilcolinesterase7 no cérebro, melhorando a concentração e a memorização, sendo portanto muito útil a estudantes. Inibidores da acetilcolinesterase tem sido pesquisados pelo seu importante efeito de melhora dos sintomas do Alzheimer. Para estes usos, a inalação é a melhor via para impacto no cérebro.

Vale ressaltar que na pindaíba, as moléculas que possuem este efeito na acetilcolinesterase são os pinenos8, permitindo que a pindaíba tenha exatamente os mesmos efeito do cape may.
Na África do sul, o cape may é usado como erva-medicinal pelas mulheres que deram à luz, para aliviar as dores pós-parto. Igualmente tem uso como repelente de insetos9.

Textos: Fabian Laszlo

 

Referências:

1. Rao VS, Menezes AM, Viana GS. Effect of myrcene on nociception in mice. J Pharm Pharmacol. 1990 Dec;42(12):877-8.
2. Paumgartten FJ, et al. Single dose toxicity study of beta-myrcene, a natural analgesic substance. Braz J Med Biol Res. 1990;23(9):873-7.
3. Lorenzetti BB et al. Myrcene mimics the peripheral analgesic activity of lemongrass tea. J Ethnopharmacol. 1991 Aug;34(1):43-8.
4. Delgado IF, Carvalho RR, Nogueira AC, et al. Study on embryo-foetotoxicity of beta-myrcene in the rat. Food Chem Toxicol. 1993 Jan;31(1):31-5.
5. Delgado IF, Nogueira AC, Souza CA, Costa AM, et al. Peri- and postnatal developmental toxicity of beta-myrcene in the rat. Food Chem Toxicol. 1993 Sep;31(9):623-8. 
6. Zamith HP, Vidal MN, Speit G, Paumgartten FJ. Absence of genotoxic activity of beta-myrcene in the in vivo cytogenetic bone marrow assay. Braz J Med Biol Res. 1993;26(1):93-8.
7. Bonesi M, et al.Acetylcholinesterase and butyrylcholinesterase inhibitory activity of Pinus species essential oils and their constituents. J Enzyme Inhib Med Chem. 2010 Oct;25(5):622-8. 
8. Miyazawa M1, Yamafuji C. Inhibition of acetylcholinesterase activity by bicyclic monoterpenoids. J Agric Food Chem. 2005 Mar 9;53(5):1765-8.
9. Lis-Balchin M, Hart SL. Coleonema album: studies of the pharmacological action on smooth muscle in vitro and antimicrobial action of its essential oil. Phytother Res. 2002 May;16(3):292-4.

 

Abaixo vemos a cromatografia dos dois óleos e o cape may chega a superar a pindaíba na concentração de mirceno:


CAPE MAY 
Constituinte ID %

1 α-thujeno 0.5
2 α-pineno 3.4
3 sabineno 1.4
4 β-pineno 1.4
5 mirceno 43.8
6 α-felandreno 2.0
7 δ-3-careno 0.1
8 α-terpineno 0.3
9 p-cimeno 0.4
10 β-felandreno 31.8
11 Z-β-ocimeno 2.5
12 E-β-ocimeno 0.4
13 γ-terpineno 0.4
14 terpinoleno 0.2
15 linalool 1.2
16 canfora 0.7

 

PINDAÍBA
Constituinte ID %

1 α-thujeno 0.8
2 α-pineno 5.7
3 sabineno 3.2
4 β-pineno 15.5
5 mirceno 32.7
6 α-felandreno 1.2
7 p-cimeno 1.4
8 limoneno 7.6
9 1,8-cineol 2.2
10 β-ocimeno 2.1
11 linalool 2.1
12 α-cubebeno 1.1
13 β-cubebeno 3.9
14 β-cariofileno 1.4
15 germacreno d 8.6
16 δ-cadineno 1.6

 https://www.facebook.com/laszlobrasil/posts/1623664027704536

Informação Adicional

Volume 10mL

Comentários

Queremos saber sua opinião

Apenas usuários registrados podem comentar. Por favor, identifique-se ou cadastre-se

Tags do Produto

Use espaços para separar as tags. E aspas simples (') para frases.

Comente: